Elevação de prazo de consignado para 96 meses pode acarretar endividamento

Recentemente, o governo do Estado de Goias ampliou o prazo de pagamento do crédito consignado para servidores públicos, passando de 60 para 96 meses o número máximo de parcelas.

Por um lado, a medida é positiva, pois o prazo maior permite obter o valor necessário com uma prestação menor. Mas os servidores devem usar com sabedoria esse nova possibilidade.

Geralmente, o empréstimo tem um motivo específico. Com parcelas menores, menor é o comprometimento da renda total, permitindo o servidor atingir seu objetivo ficando menos sufocado até o fim do pagamento do empréstimo. Mas, com parcela menor, ainda resta margem para contrair mais empréstimos. É aí que o servidor deve tomar cuidado: empréstimos em cima de empréstimos, consumindo a remuneração total e enforcando ainda mais o saúde financeira.

Outro problema são os juros. A medida que a quantidade de parcelas cresce, a porcentagem nominais dos juros crescem junto. Isso reduz a “eficiência do empréstimo”, fazendo o cidadão pagar mais por menos crédito, a medida que a quantidade de parcela aumenta. Esse fato é mascarado pelo aumento do valor liberado a medida que se aumenta a quantidade de parcelas, passando a sensação de que os juros não são maiores.

Uma dica para perceber esse problema é sempre calcular o valor total da dívida ( parcelas x prestações ) subtraído o valor liberado do crédito (o que vai cair na sua conta). Só esse simples cálculo já evita arrependimentos e frustrações.

Sempre tenha critérios no momento de contrair dívidas. Mesmo prejudicados pelo achatamento dos proventos e pelo avanço da inflação, os servidores públicos de Goiás devem ver essa mudança como uma possibilidade de recorrer em caso de necessidade, algo que pode temporariamente permitir “respirar mais aliviado” num momento inesperado, pois pode-se iniciar um superendividamento.

E, principalmente, não levem em conta o reajuste de 15% prometido pelo governo no mês de Dezembro. Estamos no início de mandato e esse reajuste é condicionado ao aumento de receita. Ou seja, não aumentou a arrecadação, não tem reajuste. E estamos falando de um empréstimo de 8 anos…

Melhor esperar até Janeiro de 2015 antes de contrair um empréstimo consignado.

 

Notícia: Endividamento cresce; crédito e consumo caem